HUMILDADE

Ser humilde não é ser passivo ou omisso.

Ser humilde não é ser covarde ou ter ausência de atitude.

Ser humilde não é comparado à timidez.

Ter humildade é ter coragem, é ter consciência do que se compõe o caminho.

Ter humildade é ter sabedoria, é ter atitude.

Ter humildade é ter a capacidade de não se curvar ao ego, mas se despir de sentimentos egoístas e mesquinhos.

Ser humilde é ouvir, é enxergar suas falhas e reconhecê-las. Aceitar as diferenças, saber que todos possuem potenciais mais desenvolvidos e outros menos desenvolvidos. Aprender o que não sabe e ensinar o que sabe, sem vaidade.

O sentimento de humildade é muitas vezes confundido com a falta de personalidade ou algo parecido, porque diante da realidade que vivem hoje cheia de disputas, competições, intrigas, invejas, os seres que conseguem estar de fora desse mundo, olhar e ver o caminho, não participando desse contexto confuso e cheio de armadilhas, são julgados. E provavelmente são alvos de injustiças.

Mas nesse mundo, julgam a tudo e a todos – se o próprio Jesus Cristo, que semeou amor, compaixão, caridade foi julgado, condenado e crucificado o que fazem e como agem uns com os outros? De qualquer maneira se julgam, por mais que se esforcem sempre terá aquele ou aqueles que verão motivo para criticar e distorcer o que fazem ou dizem. Então, já que não adianta, sigam em frente e cumpram o SEU PAPEL.

 Se cada um conseguir cumprir o seu papel, pensem como tantos problemas serão resolvidos!

Não percam tempo e energia vital se preocupando com o que os outros pensam ou falam de vocês. Na grande maioria dos lugares desse planeta, onde existem pessoas juntas, existem julgamentos – mas isso irá acabar um dia mais cedo do que esperam. As mudanças e transformações se intensificam a cada dia e os avisos estão sendo dados, muitos não estão dando a devida importância e continuam perdendo tempo. Quando chegar o tempo de se ver o que se tem, o que  conquistou, o que se construiu moralmente como essência divina, muitos chorarão a dor do arrependimento, de não ter se empenhado o suficiente, de ter permitido se hipnotizar por tantas coisas pequenas. Outros continuarão, mesmo assim, a julgar e por a culpa em alguém alegando não ter sido avisado ou que não entendeu. De nada adiantará. Estamos avisando e repetindo a todo instante – NÃO HÁ MAIS TEMPO!! Parem de ver o mundo material limitado, vejam além, vejam o todo. Vejam que a SUA reforma íntima é urgente, e que o outro não pode nem lhe salvar nem lhe desviar do caminho, a não ser que vocês permitam.

            É um pouco contraditório, ou paradoxo permitir que alguém lhes leve para o “inferno” quando está no caminho do “céu”. Que seus caminhos sejam desviados tão facilmente. Filhos atenção!! Vocês são testados nas suas fraquezas! Com o objetivo do aprendizado e crescimento e não para punição. Alguns resgates são feitos, mas a necessidade do fortalecimento da sua essência deve ser compreendida.

Aquele que se julga saber, que pensa ser muito bom, não aprende porque não dá espaço para a captação do conhecimento. Acredita não precisar por saber o suficiente no momento. Que Deus tenha compaixão e desperte sua consciência, que seu coração seja tocado e percebas que não sabes nada e por toda a sua existência, aprenderá. O único caminho para o aprendizado é a humildade de aceitar a sua condição de “eterno” aluno em todos os lugares, nas situações pequenas e inesperadas e nas grandes e conflitantes. E ao passo que aprende saberão que mais precisam aprender e ter humildade. E como sempre, caso se revoltar, sofrerá mais, terá mais dificuldades.

Quando forem pensar em julgar alguém, lembrem-se da humildade, pensem nos mestres, no exemplo a ser seguido e não justifiquem dizendo que eles são diferentes porque é uma questão de escolha, de paciência, de determinação e coragem. De consciência. Qualquer um de vocês pode tornar-se mestre e é esse o caminho, mas a escolha depende do íntimo de cada um, é determinado em cada ato, em cada pensamento emitido, em cada palavra, na moral conquistada.

O verdadeiro sábio sabe a arte e o valor de não se fazer enxergar, mas de observar sem se vangloriar das suas virtudes e conhecimentos.

A humildade compensa e supre a simplicidade. A vaidade corrompe e anula o poder e a sabedoria do gênio. De nada vale a sabedoria sem humildade, pois não será usada para construção produtiva, mas para alimentar o ego, aumentar a vaidade e se distanciar do caminho. A humildade, pelo contrário, permite ao ignorante abrir as portas da sabedoria usando o conhecimento para contribuir com a evolução de si mesmo e de outros.

A vaidade é um veneno que cega, corrompe e traz discórdia. Aprisiona sua evolução e estagna sua vida. É necessária uma delicada e profunda auto-análise e em vez de tanto julgar o outro e focar no mundo exterior, “julgue-se”, ou melhor, reflita o que pode melhorar, como pode tirar algo de bom daquela situação constrangedora, mergulhe na sua reforma íntima e descubra um mundo melhor. Um mundo com menos conflitos, mais confortável passando de ator a observador dos conflitos e confusões do mundo em que vivem. E poderão aprender mais. Verão como não tem sentido as pessoas se degladiam por tão pouco e se impressionarão de como antes podiam permitir que o veneno da discórdia disseminasse suas mentes e seus corações.

Com humildade e amor, desmonta-se o ódio, desarmam-se corações endurecidos e rancorosos e transforma-se a guerra em paz. Convidamos a cada um de vocês individualmente a se juntarem a nós e fazerem parte desse outro grupo. O grupo do amor, da humildade, da paz, que está pronto a auxiliar, a ajudar e guiar, está pronto a compreender, a ter paciência e sabedoria. Mesmo que o cenário aparentemente se apresente completamente desfavorável, mantenham-se firmes e conscientes de sua missão individual e coletiva.

Muita paz. Amamos todos vocês!

 

 

Tema orientado pela espiritualidade do Espaço Mãos de Luz através de Francine Ribeiro